O mito da hora clínica na Odontologia

Compartilhe:

Durante décadas os dentistas foram induzidos a acreditar que a hora clínica era uma informação importante no consultório. Muitos até faziam paralelos entre o custo da hora clínica e o preço dos procedimentos odontológicos oferecidos. Se você é um desses dentistas ou se também ouviu falar que isso era importante, preste muita atenção no texto e abra sua mente para o que realmente importa no seu consultório: lucratividade e não quantidade.

O preço da hora clínica foi introduzido na odontologia porque há muito tempo atrás, as indústrias de produtos usavam esse mesmo método para entender seus custos e precificar os produtos. Tecnicamente se um produto tivesse um custo final de R$ 100,00; colocava-se uma porcentagem em cima e esse era o preço de venda daquele produto para a empresa que fabricou. Simples assim. Agora isso que citei eram práticas do século XIX e hoje, obviamente, as empresas ou profissionais respeitados não fazem assim: Você não acha que a Apple segue esse critério para precificar o Iphone, ou um artista para precificar seus quadros, ou ainda um consultor para vender seu conhecimento, que pode resolver necessidades importantíssimas em menos de 1 minuto… Faz sentido essa comparação?

Além da conta para se chegar ao preço da hora clínica ser complicada e difícil, o número final em si não pode ser usado para tomada de decisões. Saber o preço da hora clínica não é suficiente para que o dentista perceba que precisa economizar energia, ar condicionado, salários ou mesmo custos operacionais, pois eles ficam “difusos” quando analisados no preço da hora clínica.

Quanto a utilizar para precificar serviços é mais estranho ainda: primeiro porque nenhum dentista consegue ter 100% de certeza de que uma restauração, ou uma consulta, vai durar exatamente 30 minutos, ou 50 minutos. Sempre há casos que saem das previsões, repetições de moldagem, complemento de anestesia ou mesmo uma simples conversa para acalmar e orientar melhor o paciente. Também as faltas de clientes podem ser influenciadas por fatores não aplicáveis na hora clínica. Uma semana de chuvas incomuns aumentam as faltas. Outra condição comum é que existe uma curva de aprendizado natural que faz com que cada dentista fique mais habilidoso e finalize seus casos com mais rapidez, isso altera o custo da hora clínica… se eu fosse listar tudo aqui a lista ficaria enorme, mas acredito que você já entendeu a explicação.

A Odonto Branding acredita que cada dentista deve ter métricas mais importantes para analisar: como lucratividade por procedimento, quantidade de indicações, novos clientes e até mesmo proporção de clientes que você consegue fidelizar. Quanto aos custos recomendamos que o dentista se atente para os custos fixos mensais e para os custos variáveis. Dominar essas informações sim são uteis. Se, por exemplo, houve um aumento de 30% do gasto mensal com energia elétrica, algo deve estar fora do controle. O mesmo pode ser dito para custos com funcionários, material de escritório, divulgação e até custos variáveis, como protéticos. Dominar essas informações sim podem ajudar qualquer dentista a tomar boas decisões.

E se você quer conhecer mais sobre esses temas, cadastre-se logo acima seu melhor e-mail e receba prioritariamente nossos conteúdos. Atentar-se para sua lucratividade é uma das ações mais inteligentes que você pode tomar.

 

Um abraço,

Weder Carneiro.

Deixe seu comentário:

 

Compartilhe:

 

Faça download gratuito do livro