Convênios: Se não pode vencê-los, lucre com eles

Compartilhe:
Lucre com Convênios Odontológicos

Os convênios odontológicos sempre foram motivo de queixas por usuários e seus credenciados. Na Odontologia os abusos mais comuns são preços irrisórios, glosas e negativas de exames e procedimentos. Mesmo com a atuação da ANS (Agência Nacional de Saúde), da Lei 9.656 e da própria atuação do Código de Defesa do Consumidor os usuários ainda sofrem abusos e descaso. Se por um lado os usuários sofrem, os credenciados não vivem uma realidade muito diferente. Em sua defesa contam com entidades de classe, Conselho e agentes políticos que se esforçam para tentar melhorar as condições dos Dentistas. O problema é que os avanços são lentos, burocráticos e que as empresas de plano de saúde usam e abusam de advogados e lobbies político para defender seus interesses.

Ao longo dos anos que a Odonto Branding se dedica ao estudo e análise da Odontologia brasileira, o tema “convênios” sempre foi visto como área prioritária, porque ela tem um enorme potencial lesivo ao dentista, tanto por remunerá-lo mal quanto por, lentamente, torna-lo dependente de um sistema que o suga cada dia mais.

Um dos primeiros artigos que escrevi sobre o tema foi justamente uma análise crítica sobre as forças que agem sobre o relacionamento convênio-empresa-dentista (agora figurando um novo e poderoso ator: bancos).

Daquela época para hoje (2016) foram horas e horas dedicadas a pensar na estrutura maléfica instalada, buscando algum ponto de fraqueza que pudesse ser explorado em prol do dentista.

E, finalmente, chegou a hora de revelar esse ponto.

Em 2014 liderei um grupo de 4 dentistas com um desafio: aumentar a lucratividade mesmo atuando com convênios. A estratégia traçada foi implementada em cerca de 90 dias e todos os casos obtiveram melhorias substanciais em seu faturamento. O Dr. Marco Aurélio, de Caxias, aumentou em 2,5 vezes seu faturamento após seis meses de técnica, uma rede de 3 clínicas de Goiânia eliminou de 12 para 3 os convênios atendidos e seu faturamento ficou 4 vezes maior, pois houve uma forte migração de uma forma de lucratividade antes ausente: os clientes particulares. E, finalmente, um pequeno consultório de Feira de Santana, que estava a beira da falência, subiu seu faturamento para uma lucratividade líquida de R$ 12.000,00.

O que esses dentistas fizeram que, em tão pouco tempo, mudou suas realidades? Será que isso poderia ser expandido para outros dentistas?

Entenda a técnica:

Infográfico - Convênios x Odontologia

Essa técnica foi ensinada e reproduzida dentro dos cursos ministrados da Odonto Branding e os resultados são animadores: Todos os dentistas que aplicaram essa mesma metodologia e seguiram o passo a passo conseguiram libertar-se da dependência do convênio.

Muitos dentistas não se viam atuando fora do mercado de convênios, o que vemos agora é que essa atuação consegue se tornar lucrativa para esse nicho de mercado.

A partir de abril de 2016 uma série de conteúdos explicativos como esse serão disponibilizados com objetivo de explicar a lucratividade nos cenários aparentemente desfavoráveis. Se quiser receber esses e outros conteúdos cadastre seu melhor e-mail logo abaixo e receba seu material complementar semanalmente.

Deixe seu comentário:

 

Compartilhe:

 

Faça download gratuito do livro